Mahjong – Solitaire


O clássico jogo de combinação de peças trazido a você por Under4Mhz.

Combine os pares de peças até que todas as peças tenham sido removidas.

Mahjong é um jogo baseado em peças que foi desenvolvido no século 19 na China e se espalhou pelo mundo desde o início do século 20. 

Embora seja comumente jogado por quatro jogadores, esta versão para MSX é uma edição para um jogador.

Qualquer ladrilho deve ter um lado esquerdo ou direito aberto para ser selecionado para correspondência. 

Jogue até que não haja mais combinações possíveis ou até que todas as peças tenham sido eliminadas.

https://www.msxdev.org/wp-content/uploads/2021/05/MSXdev21_MahjongSolitaire_v1.0.zip

Até +

Dex

Jogos da Parallax agora são freeware !


Cas Cremers, conhecido como o fundador da Parallax Software , anunciou em sua conta no Twitter que todos os jogos da Parallax agora são considerados freeware. Isso significa que você pode reproduzi-los, copiá-los e distribuí-los livremente. Um grande gesto, que também garante que esses importantes produtos holandeses serão preservados.

Um dos temas recorrentes dos jogos Parallax posteriores são grandes animações adicionadas com rolagem rápida. Embora usar sprites de hardware e telas estáticas fosse a coisa certa a fazer, Cas fez o seu melhor para certificar-se de espremer cada pedacinho do MSX para ter grandes objetos em movimento na tela. Cada novo lançamento de jogo era ainda mais impressionante do que o anterior. É uma pena que sua obra-prima Core Dump nunca tenha visto a luz do dia …

Dê uma olhada na lista de jogos de MSX lançados, e agora freeware, da Parallax:

Todos estes agora podem ser baixados gratuitamente do banco de dados do software MRC (clique no título para baixar). Divirta-se!

Link relevante: página inicial do Parallax

Até +

Dex

Recoil 6.0.0 disponível pra download.


1) Renderização

  • Pixel Aspect Ratio agora é compatível com as seguintes plataformas: Apple II, Atari 8 bits (PAL / NTSC), Atari Portfolio, C64 (PAL / NTSC) e MSX, in recoil2png, plug-ins ImageMagick / Paint.NET / XnView, Windows 10 aplicativo, RECOILWin (salvar como PNG, copiar apenas para a área de transferência)
  • PAL / NTSC pode ser selecionado em recoil2png e RECOILWin, afeta a proporção de aspecto do pixel e a paleta de 8 bits do Atari
  • A paleta C64 pode ser carregada de um arquivo VPL em recoil2png e RECOILWin

2) Novos formatos

  • Atari 8 bits: ART, MGA, PI8, PI9, PIX, loja de impressão (PSF)
  • C64: Contratação de sistema de imagem (ISH)
  • MSX2: Dot Designer’s Club (CMP)
  • NEC PC-98: ARTV (ARV), EBD.

3) Formatos aprimorados

  • As expansões gráficas são identificadas: Amiga DCTV / HAM-E, Atari VBXE de 8 bits, MSX V990 VDP, ZX Spectrum ULAplus / Next, ZX Evolution
  • Decodificando mais arquivos Atari ST PaintShop (PSC)

4) Portas

  • Corrigido “Não há arquivos suportados” no Android 11
  • Plug-in XnView MP lançado para Ubuntu
  • Nomes de arquivos Unicode no Windows Explorer, RECOILWin, Imagine
  • Imagens de vários arquivos no Imagine
  • Atualizado para ImageMagick 7
  • Plugins TortoiseSVN / TortoiseGit para comparação de imagens
  • Os binários do Windows agora estão assinados

http://recoil.sourceforge.net/

The Maze of Galious


O Labirinto de Galioso recebe seu revival merecido

Uma versão MSX2 de The Maze of Galious está em andamento como formato de patch IPS para aqueles que desejam modificar sua própria ROM original.

Uma equipe de titãs está trabalhando há algum tempo em um projeto ambicioso envolvendo um dos jogos mais icônicos do padrão MSX: The Maze of Galious.
Esta adaptação não se limita a pegar um punhado de gráficos e alterá-los para parecerem diferentes, nada está mais longe da verdade, o jogo foi completamente desmontado para refazê-lo usando rotinas gráficas específicas do MSX2.

Toni Gálvez é o encarregado de tornar The Maze of Galious ainda mais atraente, utilizando os benefícios do SCREEN 5. E longe de se contentar em apenas retocar alguns elementos, ele foi além e refez completamente cada um dos elementos que o tornam o conjunto gráfico. Desta forma você pode apreciar uma diferença notável entre a versão original e esta para o MSX de segunda geração.

Além da mudança nos gráficos, estamos aproveitando o fato de que o jogo está totalmente fragmentado para adicionar mais detalhes tanto aos fundos e sprites quanto à fonte, que agora apresenta um gradiente muito bacana. A título de exemplo, temos aqui o look que Popolon e Afrodite, as personagens principais, vão ter na tela de seleção de itens.
As imagens que você vê nesta entrada são do jogo em operação, não uma maquete. É assim que aparecerá na tela quando terminar.
Víctor Martínez e David Madurga são os responsáveis ​​pela programação do jogo.

até +

dex

Open 16.0 MSX Lançado


Olá pessoal;

O Open MSX é uma versão principal em que finalmente migramos para SDL2 e Tcl 8.6, e mudamos para um esquema de controle de versão mais simples, removendo o prefixo 0. agora 🙂 Fora isso, há um monte de melhorias. Alguns dos mais solicitados são a funcionalidade de copiar / colar e o suporte para arrastar e soltar. 

Mas também adicionamos uma emulação YM2413 superprecisa (originalmente escrita por NukeYKT), suporte fixo de entrada / saída de MIDI no Windows, um novo modo de teclado, menu OSD muito melhorado, etc. Junto com openMSX uma versão atualizada de Catapult, nosso usuário- GUI amigável, foi lançado. Novamente fizemos uma pequena quantidade de melhorias: consertar a janela oculta de openMSX ao iniciar a partir do Catapult, migração para Python 3 e wxWidgets 3.0, tornar as extensões compatíveis consistentes com a linha de comando openMSX, substituiu o controle de precisão pelo botão VSync e os controles Min e Max Frameskip por controles de velocidade de avanço rápido e adicionou um botão para ativar a velocidade total ao carregar (“Fast Load”).

Até mais pessoal

[]´s

Dex

Modem WIFI – MSX BadCat


Olá pessoal

Andrés Ortiz está desenvolvendo o BaDCaT, um novo modem WiFi para conectar nossos computadores MSX à Internet. O objetivo principal era reduzir ao máximo a carga da CPU Z80 com a adição de hardware externo no mesmo cartucho para processamento TCP / IP. Por outro lado, poder trabalhar em computadores MSX1, mesmo com pouca RAM. Todo esse processo é realizado por um circuito integrado ESP8266, especificamente a versão ESP12 com 4 MB de memória flash.

O cartucho consiste em um UART 16C550C que implementa uma porta RS232 como interface entre o ESP12 e o barramento MSX. Ele também fornece uma porta serial padrão para o MSX. Em resumo, poderíamos dizer que este cartucho possui dois modos de trabalho:

  1. MSX1 : a pilha TCP / IP e o cliente telnet são executados no cartucho. O computador executaria apenas um programa de terminal.
  2. MSX2 e superior : a pilha TCP / IP é executada no cartucho e no cliente de telnet no MSX. Para fazer isso, a versão telnet do ducasp foi modificada para oferecer a mesma funcionalidade com o modem WiFi e as interfaces UNAPI. Esta versão do telnet já está disponível no Github do ducasp.

Especificações técnicas:

  • Compatível com MSX1 / MSX2 (e superior).
  • Porta serial de até 115200 bps.
  • Controle de fluxo RTS / CTS.
  • Compatível com driver fóssil (sem nenhuma modificação).
  • Modem ESP12 baseado em zimodem, velocidade efetiva de 57600 bps.
  • Telnet do ducasp compatível e com todas as suas funcionalidades (decodificação ANSI rápida, download de arquivos …)
  • Possibilidade de executar o cliente telnet no próprio cartucho.
  • Firmware atualizável.

Link relevante: Site do BaDCaT
Link relevante: demonstração em vídeo

Jogo – SubCommander


Olá pessoal;

Vamos falar de mais um novo jogo para MSX o Sub Commander.

Liberte seu armamento de nível militar em frotas de navios inimigos, mas tome cuidado para não atingir nenhum submarino neutro.
Você pode até convidar um amigo para jogar no modo compartilhado para dobrar a diversão.

MSXdev'20 # 3 - Subcomandante

Esse jogo foi desenvolvido para a MSXDex´20.

Segue o link para download do jogo;

É isso ai pessoal, divirtam-se

Dex

MSXVR – Pre Order


O MSXVR é um computador compatível em nível de hardware e software para os computadores domésticos da família MSX, com a adição de novas funcionalidades e características que permitem melhorias e recursos modernos.

Você também pode jogar jogos COLECOVISION no MSXVR, e há uma funcionalidade adicional para dar suporte inicial à máquina C64, além da possibilidade de jogar jogos Spectrum. Outro recurso interessante da ferramenta de depuração é a possibilidade de depuração do código VR-Script. É certo que a equipe do MSXVR se sentirá mais confortável na criação de novos jogos e aplicativos para MSX, ZX, CPC e outras plataformas. O desenvolvimento do núcleo da biblioteca facilitará o carregamento de gráficos BMP a partir de ROM ou DSK, conversão de pixels / cores, etc.

Criar jogos MSX2 será o mais fácil possível com o VR-Script e as ferramentas de pré-processador / compilador / vinculador e depurador.

Atualmente, há testes e adição de suporte à nova placa de circuito impresso multiuso para o cartucho SJ2. Este cartucho funciona como DUAL, pode usar uma ROM interna de 512Kb (até 2Mb possível) para computadores MSX e uma memória flash interna de Gigabytes exclusiva para o MSXVR.

Obviamente, o MSXVR pode usar ambos. Maiores informações em; https://msxvr.blogspot.com até + Dex

Chuck Peddle, obrigado…


Engenheiro é um dos grandes heróis desconhecidos da era dos computadores pessoais; além de revolucionar uma era, seus chips alimentaram os primeiros computadores Apple e Commodore.

Chuck Peddle, engenheiro e empresário que criou o impulso inicial para o lançamento da era dos computadores pessoais, morreu aos 82 anos, no dia 15 de dezembro, em sua casa em Santa Cruz, Califórnia. Segundo sua parceira, a causa de morte foi um câncer no pâncreas.

Peddle revolucionou a Era digital ao projetar um microprocessador vendido por US$ 25 (aproximadamente R$100). Em uma época que a tecnologia digital era restrita a poucas empresas e pessoas, ele acreditava que seu chip de baixo custo poderia aumentar o acesso à tecnologia e abrir caminhos para dispositivos pessoais como caixas registradoras e computadores.

No entanto, sua ideia não era bem vista por todos. Em 1974, quando o engenheiro e sua equipe estudavam o revolucionário chip na Motorola Corporation, a empresa pediu para que ele encerrasse o projeto. A empresa argumentava que o produto de Peddle poderia dar início a uma competição interna indesejada contra o processador de US$ 300 (aproximadamente R$ 1225) que ela havia lançado naquele ano.

Diante disso, Peddle migrou para a MOS Technology, uma fabricante de chips rivais, e levou outros sete engenheiros da Motorola com ele. A ideia tomou forma nessa empresa e seu chip barato, o 6502, foi desenvolvido e alimentou a primeira grande onda de computadores pessoais nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha, incluindo o Apple II e o Commodore PET, além do Famicom (NES nos EUA), primeiro console da Nintendo.

Propaganda de 1975 do Chip 6502. Foto: Alamy

“Chuck Peddle é um dos grandes heróis desconhecidos da era dos computadores pessoais”, afirmou Doug Fairbairn, diretor do Museu de História da Computação em Mountain View, Califórnia. “Praticamente todos os computadores pessoais antigos e bem-sucedidos do mercado de massa foram construídos em torno do 6502, não chips da Intel ou qualquer outra pessoa”, explicou.

Charles Ingerham Peddle nasceu em 25 de novembro de 1937, em Bangor, Maine. Além de contribuir para a explosão na era dos computadores pessoais, seu chip também integrou os primeiros videogames domésticos, como o console de jogos Atari. Seu projeto inicial, apesar de distante dos dias de hoje, ainda é significante para os avanços da tecnologia digital e dos dispositivos pessoais.

até +

Dex

Nem Microsoft, nem Apple e sim Xerox


Essa poderia ter sido a maior empresa da história, pois tinha inventado muito antes de qualquer outro o computador com interface gráfica, mouse e teclado,e-mail, internet ou seja o computador pessoal completo. Pena que eles não sabiam disso.

Pois bem, no mundo de tecnologia, posso dizer que inovação não é nada sem implementação para o mercado

Se eu te falasse que uma empresa criou a internet, mouse, interface gráfica, impressão via computadores e e-mail, você acreditaria? Ela deveria ser gigantesca, não é? Bom, ela existe, fez tudo isso e vale uma fração de startups mais famosas que construíram produtos com seu legado.  Trata-se da Xerox, uma gigante de US$ 7 bilhões, mas que podia valer US$ 500 bilhões. Fácil.

Pois bem, uma propaganda da Pirelli na época da Copa do Mundo de 1998 ensinava uma importante lição para quem dirige: potência não é nada sem controle. Pois bem, no mundo de tecnologia, posso dizer que inovação não é nada sem implementação. A Xerox criou tudo que viria a ser o computador pessoal, através do PARC (Palo Alto Research Center), mas nunca implementou para o mercado.

Pior: passou essas inovações e segredos para a Apple, que hoje vale US$ 743,5 bilhões. Steve Jobs sempre creditou isso como fundamental para o sucesso Apple. E em um documentário da década de 1990, ele mesmo destacou que a Xerox poderia ter sido a maior empresa da história. Se tivesse aproveitado o que ela mesmo criou.

Detalhe do programa gráfico do Alto de 1.970, que já tinham o uso de desenhos, mouse icones e etc.

Para entender o que aconteceu e o que podemos aprender com essa lição, vamos voltar ao passado e entender o contexto. Fundada em 1906 na costa Leste Americana, a Xerox já era uma gigante quando criou tudo isso, com mais de 50 anos de idade. A companhia era imensa no segmento de cópias e buscava inovar, criando o PARC (Palo Alto Research Center), no coração do Vale do Silício, em 1970.

Um pequeno adendo: é interessante ver que já naquela época o Vale do Silício era visto como a região para se criar um laboratório de inovação. Isso se dava ao mindset da região, que só foi refinado de lá para cá. Afinal, o local concentra boa parte da inovação dos últimos 80 anos.

Voltando à Xerox. O PARC deu frutos em pouquíssimo tempo. Em 1972, a empresa já havia desenvolvido um computador pessoal inteiro. Trata-se do Xerox Alto. Olha o comercial dele aí embaixo.

Esse comercial acima é datado de 1972, ou seja, muito antes do que poderiamos imaginar, tendo em vista que a grande explosão dos computadores domésticos teve inicio no final de década de 70 e se consolidou nos anos 80.

Logo podemos ter a certeza que Steve Jobs e Bill Gates apenas aprimoraram o que existia e fizeram uso disso a seu favor.

Talvez se a Xérox tivesse idéia do que tinha em mãos a história dos computadores domésticos seria muito diferente.

Observe a riqueza de detalhes do sistema gráfico.

Ele já tinha, em 72, tudo que veio a se popularizar nas décadas de 80 e 90: ethernet, interface gráfica, mouse (com três botões, igual a maioria dos mouses de hoje!), conexão com impressora e e-mail. No comercial tem uma agenda e uma assistente.

Só que a direção da empresa não entendeu muito qual era o poder do Alto, o primeiro computador pessoal com interface gráfica da história. Ele foi demonstrado para o board executivo da companhia, que decidiu manter a estratégia, focada em impressão.

Xerox Alto – O primeiro computador gráfico pessoal da história , revolucionário e nos lembra a primeira versão do windows 1.0, olha o famoso relógio de ponteiros.

A companhia nunca nem comercializou o Alto, só o instalou em escritórios da própria companhia e em escritórios do governo americano e do exército. Essa falta de visão foi fundamental para a empresa estagnar nas décadas seguintes e acabar se tornando irrelevante.

As filhas do PARC: a Apple e Microsoft

E ainda mais, em 1979 depois ela licenciou a tecnologia do Alto para a Apple, depois de Steve Jobs ficar encantado com o produto em uma série de visitas ao PARC. O acordo garantia que Jobs poderia usar essa tecnologia e em troca a Xerox poderia comprar até US$ 1 milhão em ações da Apple. Jobs fez questão que essa tecnologia fosse aplicada ao Lisa, computador lançado em 1980.

“Eles não sabem o que possuem”, chegou a afirmar Steve Jobs. Para falar a verdade, alguma parte da Xerox sabia, sim, que aquele produto era revolucionário. Quem trabalhava lá, estava animadíssimo. O board não.

Detalhe da placa mãe que pertencia ao Alto.

Em 1981, a Xerox até tentou correr atrás do prejuízo, com o lançamento do Xerox Star. Mas cometeu um erro fatal: preço. O computador chegava a custar até US$ 16 mil por unidade. E se levasse o pacote completo, tudo sairia por cerca de US$ 100 mil. Desiludidos com o fracasso em implantar os produtos da PARC, a Apple contratou vários funcionários da Xerox e acabou jogando a pá de cal no projeto.

Uma outra empresa se tornou forte neste segmento, a Microsoft. Ela também construiu seu legado no que a Xerox havia construído anos antes. E também contratou grandes nomes do PARC para avançar sua inovação interna. Tanto Microsoft quanto Apple se tornaram grandes players no segmento de computadores pessoais nas décadas seguintes, mas a Xerox, a inventora de tudo, não.

O que faltou? Implementação, que é a regra de ouro para qualquer inovação que uma empresa pode fazer. Não adianta apenas inovar: você precisa saber levar essa inovação para o mercado de forma, evitando os erros que fizeram a Xerox ser irrelevante no mercado que ela poderia ter criado sozinha.

Até +

Dex